Escolhi ser Planeta… E você?

 planetas_-_luciano_mendez_-_wikimedia_commons - Cópia (2)
Utilizando o telescópio Spitzer, a agência espacial americana, a NASA, conseguiu captar a luz de dois planetas que orbitam fora do Sistema Solar pela primeira vez na história. Dizem os estudiosos, que o Spitzer oferece uma poderosa ferramenta para aprendermos sobre as temperaturas, atmosferas e órbitas de planetas que estão a centenas de anos-luz de distância da Terra e que detecta quando eles passam em frente a uma estrela, fazendo-a “piscar”.

Chama-me a atenção o uso do termo “Estrela” ou “Estrelão”, por pessoas que se diferenciam dos outros por julgarem ser detentoras de “luz própria”… No entanto, podemos também aprender que os planetas não têm o famoso “brilho próprio”, contudo, os antigos gregos denominaram de Planeta ou Planētēs – que significa Errante em grego – os astros que se moviam por entre os Astêr que eram astros fixos ou “Estáticos”, termo grego que traduzimos como Estrela. Em resumo, as Estrelas estão sempre paradas e os Planetas estão sempre se movimentando…

Certa vez se assentou ao meu lado numa viagem de avião uma senhora que estava há trinta e sete anos sem ver seus parentes, e nunca tinha viajado de avião. Em um determinado momento da viagem, à noite, quando estávamos sobrevoando o espaço aéreo de São Paulo, ela olhou para baixo e disse algo que tocou minha alma com uma sabedoria e simplicidade singular. Ela declarou: “Quando estamos lá em baixo olhamos as estrelas no céu, mas quando estamos aqui em cima olhamos as estrelas no chão…”. Referindo-se ao cintilar das luzes da cidade em meio à escuridão da noite…

De fato, podemos ser “Estrelas” ou “Planetas” durante nossa vida. É uma questão de escolha de postura de vida… A maioria das pessoas quer ser “Estrelas”, ter o “brilho próprio”, independente se isso dura um tempo meteórico ou não… Tempo esse que se encerra muitas vezes com o ostracismo. Hoje, ser uma Celebridade, um “Estrelão”, ter um nome “de Peso”, deter um “nome famoso” é o que importa numa sociedade que consome, entre outras coisas, a imagem. Essas “Estrelas” aparecem inicialmente como resolutivas, dinâmicas, simbólicas, mas muitos esquecem que elas estarão sempre estáticas e não produzirão nada além de si e para si… Resumem-se a preocupação de brilharem solitárias. As Estrelas são amigas do interesse pessoal e estão longe da solução dos grandes problemas, pois só solucionam problemas de sua vida… São quentes por fora e frios por dentro, como mostra o fenômeno da “Coroa Solar”, que afirma que a superfície do nosso Sol é mais quente que seu interior…

Entretanto, somos vocacionados a ser Errantes, caminhantes, peregrinos, construtores em nossa jornada. No planeta existe vida e na estrela não. No planeta o calor está no seu interior e a vida na sua face. O planeta se preocupa em sustentar a luz da vida e caminhar por entre as estações, a estrela só com seu brilho… Alguém já disse que “ser um sucesso é produzir o sucesso do outro”. Eu digo que ser um sucesso é ser planeta! Basta estender o que você pode fazer com o que você é…

Diante daquela afirmação “aéreo-noturna” sobre a capital paulista fiquei a me perguntar: Quantos “planetas” estão dando lugar às “estrelas” entre nós? Talvez o interesse por ser estático responda isso…

Eu sei que escolhi ser Planeta faz tempo, e você?

Anúncios

Deixe seu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s